Tipos de impressão – parte 1

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest

Quando estamos desenvolvendo um projeto gráfico, os tipos de impressão são muito importantes. Prestar atenção para que a qualidade da impressão seja valorizado e transmita a mensagem de maneira eficiente. 

Por isso, é essencial definir – antes de começar seu projeto – qual desses tipos de impressão mais adequado, levando em consideração o tipo de papel, cores e acabamentos utilizados. Os tipos de processos de impressão são definidos pela forma como ocorre a transferência dos elementos gráficos para o papel e são classificados em diretos e indiretos. 

Quais são os tipos de impressão mais comuns?

Impressão offset

tipos de impressão

A impressão offset é o mais famoso de todos os tipos de impressão que vamos falar aqui hoje. Ele é o processo de impressão planográfico mais utilizado pelos setores gráficos em todo o mundo. Isso acontece, principalmente, por causa do alinhamento entre qualidade e custo-benefício do processo. 

O nome do tipo de impressão pode ser traduzido como “fora do lugar”, uma expressão que remete aos processos anteriores ao offset, onde o papel tinha um contato direto com a matriz. Esses outros tipos de impressão faziam com que erros de acontecessem com maior frequência e o desperdício de tinta fosse maior.  

Como funciona a impressão offset

O offset trabalha com uma impressão indireta. Isso quer dizer que a imagem não é impressa diretamente no material (vamos usar como exemplo, o papel). Isto acontece porque a superfície da chapa onde está a imagem é lisa e teria pouca fricção com o material — o que iria deixar tudo borrado. 

Primeiro: uma chapa metálica é preparada para se tornar fotossensível. A área protegida da luz acaba sempre atraindo gordura — a tinta — enquanto o restante atrai apenas água — que não chega no papel. 

Segundo: a chapa é presa em um cilindro. Esse cilindro vai rolar por um outro menor, que contém a tinta — que pode ser da cor cana, magenta, amarela ou preta. A tinta “cola” na imagem, enquanto o restante fica em “branco”.

Terceiro: um cilindro com uma banqueta de borracha rola em cima do primeiro cilindro (com a chapa já pintada). A blanqueta vai absorver melhor a tinta além de proporcionar uma melhor fricção ao papel. Agora, a imagem está impressa na blanqueta. 

Quarto: o papel passa entre o cilindro com a blanqueta e um outro cilindro que vai fazer pressão. Assim a imagem é transferida da blanqueta para o papel.

Isso quer dizer que a chapa imprime na blanqueta que imprime no papel. E é assim que um processo de impressão offset funciona, mas quais são as vantagens que ele traz para os materiais que eu estou desenvolvendo?

Vantagens do sistema offset

O tipo de impressão offset é utilizado para as grandes e médias tiragens por conta de sua rápida velocidade. Isso permite que as máquinas imprimam grandes quantidades sem a necessidade de interferências humanas, que acontecem apenas para alterar as cores e a quantidade de água.

Além disso, a qualidade do produto final e a possibilidade de impressão em quase todos os tipos de papéis (e até em algumas superfícies de plástico) são fatores que fizeram deste processo um dos favoritos do mercado gráfico.

Rotogravura

tipos de impressão rotogravura

A rotogravura é um tipo de impressão que utiliza vários cilindros com pequenas perfurações para colorir o papel com a tinta. Ele também é conhecido como processo de baixo relevo, já que a imagem na matriz fica em baixo relevo em relação à superfície do cilindro. Como são muitos cilindros usados, a impressão é mais rápida e possível também de ser feita em quantidades bem altas.

Como funciona a rotogravura

Se você já teve a oportunidade de acompanhar a impressão de grandes jornais teve uma ideia de como é feito o processo. As grandes máquinas têm capacidade para reunir centenas de papeis e imprimir as imagens e textos de uma só vez e no processo extremamente rápido. 

Além disso, o papel também já sai cortado, dobrado e organizado — vantagens essenciais para os jornais que, como todos sabem, são divididos em vários cadernos. Para fazer com que eles fiquem minuciosamente organizados e sem amasso, só grandes máquinas de impressão em sistema de rotogravura são capazes. 

A rotogravura é indicada para grandes tiragens, já que é um dos tipos de impressão que imprime em altíssima velocidade e em várias folhas ao mesmo tempo

Serigrafia

tipos de impressão serigrafia

Conhecido como silk-screen ou impressão à tela, serigrafia é um processo de impressão à base de estêncil. Antigamente, as telas eram feitas de seda e foi daí que surgiu o nome, da origem grega — seri (seda) e gráfia (escrever ou desenhar). Hoje, as telas são desenvolvidas em poliéster ou nylon, finamente tecidas. 

Esta é uma técnica de impressão muito versátil e permite obter uma grande variedade de resultados. Os tons sutis com características de aquarela, por exemplo, bem como reproduzir a densidade e riqueza de cores da pintura a óleo. 

Como funciona a serigrafia

O processo da estampagem da serigrafia é feito à base de estêncil, que permite a passagem da coloração para o substrato, por meio de um crivo. O vazamento da tinta ocorre devido à pressão de uma espécie de rodo para preparar a tela. Essa, por sua vez, é distribuída por um quadro, geralmente feito de aço ou madeira.

A tela, que também é conhecida por matriz serigráfica, costuma ser fabricada em materiais como nylon ou poliéster. Ela recebe a estrutura do desenho por um mecanismo de emulsão fotossensível, em seguida, é transferida para um fotolito (filme transparente) e, por último, para uma mesa de luz.

Os pontos escuros do fotolito são o estêncil, por onde escorre a tinta para o tecido, enquanto que a parte clara, por onde a luz ganha passagem, é impermeabilizada devido ao endurecimento da exposição da emulsão fotossensível à claridade.

Dessa forma, para cada cor expressa é necessária uma matriz diferente. Isso é o que torna todo o processo mais complicado, pois, para conseguir imprimir uma grande quantidade de colorações, é preciso realizar a combinação das telas. Por consequência, a estampa recebe uma ótima qualidade, textura agradável, fidelidade à imagem original, densidade de cores, dimensão entre outros benefícios. 

Agora que você conhece melhor todos esses tipos de impressão, já entende melhor quais são os melhores tipos para os seus materiais!

Gráficas