Identidade Visual: 9 dicas incríveis para montar a sua!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest

O que é necessário para ter um destaque com a sua marca?

Em um mercado cada vez mais competitivo, impactar a audiência é uma das coisas mais difíceis dentro do mercado. A forma mais rápida de criar um impacto duradouro é por meio da identidade visual de uma marca.

Sua empresa, assim como você e as pessoas à sua volta, precisa de uma identidade própria: algo que a define e torne única. Dentro do contexto empresarial, a identidade visual é o conjunto se símbolo e elementos, principalmente gráficos, que é concebido para representar os valores e ideais do empreendimento e apresentá-los ao cliente.

Criar uma identidade equilibrada, marcante e versátil é o primeiro passo para transmitir confiança e estabilidade ao cliente, além de facilitar a identificação da sua empresa nos mais variados locais.

O primeiro passo é a criação de um logotipo, deve ser uma imagem simples e de fácil reprodução em variados tamanhos, combinada com uma tipografia adequada, sem “firulas”. Afinal, no mundo do design, menos é mais.

Depois, a escolha de uma paleta de cores que deve ser aplicada em toda a comunicação visual. As cores têm uma importância vital em qualquer área, e cada uma desperta uma reação específica em quem as vê. É importante pesquisar bem os significados evocados por cada uma para saber qual usar, de acordo com fatores como seu público-alvo e área de atuação.

Por isso, separamos nove dicas para você montar sua identidade visual!

  1. Estude seus concorrentes

Antes de começar a criar o conceito para o design do seu logo, pesquise o seu público-alvo e a concorrência cuidadosamente. Faça uma comparação entre o que você quer e o que seus concorrentes estão fazendo. Essa comparação pode revelar estilos que são tendências.

Porém, tenha em mente que seguir as tendências pode fazer com que seu logo fique ultrapassado rapidamente, então use-as apenas como referência para criar algo realmente único.

  1. Escolha com cuidado a tipografia

Escolher o tipo de letra certo é uma parte crítica do processo de criação de um logotipo. Algumas das marcas mais conhecidas do mundo são formadas por apenas uma palavra, confiando inteiramente na tipografia para transmitir sua mensagem. Nos últimos anos, as fontes sem serifas dominaram o design de logotipo nos últimos anos, muitas vezes estando de mãos dadas com o movimento minimalista.

Como parte de uma grande estratégia de renovação de sua marca, em 2015, o Google abandonou seu marcante logo com fonte serifada depois de 16 anos e adotou uma tipografia sem serifas, limpa e moderna.

Não deixe que as tendências atrapalhem seu julgamento: uma fonte serifada ainda pode ser a escolha certa para seu projeto, especialmente se você precisa de um estilo elegante e luxuoso ou tradicional e profissional, então planeje com cuidado nas suas opções.

  1. Entenda a psicologia das formas

Alguns clichês que existem na criação dos logos, fazem com que profissionais experientes percam as esperanças. Podem ser consideradas soluções preguiçosas, por exemplo, usar uma lâmpada para representar “ideia” ou um globo para representar “internacional”.

Porém, a psicologia das formas vai muito além do óbvio. A forma e a cor podem transcender barreiras culturais e linguísticas. Mantenha sempre em mente que as formas podem influenciar psicologicamente, trabalhar bem essa questão na hora de criar um logo pode ser grande diferencial.

  1. Psicologia das cores

Assim como as formas, as cores também nos influenciam psicologicamente. A psicologia das cores é fascinante e desempenha um papel fundamental na construção do entendimento da postura da marca, tanto se você está criando um logo baseado em um símbolo ou em letras.

Uma ferramenta essencial para combinar cores de diferentes maneiras, é o Círculo Cromático ou Roda de Cores. Ele foi inventado por Sir Isaac Newton, em 1666. A versão mais comum apresenta 12 cores, com base no modelo de cor ‘RYB’. Utilize a ferramente para observar quais cores combinam, quais não.

A escolha da paleta pode transformar um logo em um grande sucesso ou em um fracasso retumbante. Em parte por simples razões estéticas, mas também por conta das associações psicológicas das cores.

Isso é importante porque se trata de um logo: do ponto de vista emocional, temos que ter a preocupação de imaginar como os consumidores se sentirão ao terem contato com o longo. Do ponto de vista prático, temos que nos preocupar com seu destaque no mercado, perante seus concorrentes.

  1. Manual da marca

O manual da marca, tem as diretrizes de uso da marca estão colocadas de maneira completa e cobrem tudo. Desde opções de cores, tamanho máximo e mínimo em que o logo pode ser usado, regras de posicionamento, espaçamento, incluindo zonas de exclusão de outros elementos e definições de alongamento e distorção.

É importante ter o manual da marca, porque ajuda a garantir que quem precise ter as orientações de como aplicar as sua identidade visual, da maneira correta.

  1. Espaço negativo

O uso do espaço negativo pode ser incrivelmente eficaz. O uso do espaço negativo em uma marca pode causar surpresa, fazendo com que isso auxilie a fixação da marca na mente do consumidor.

Se for utilizado inteligente e apropriadamente, o espaço negativo também pode adicionar significado extra ao design de um logotipo, reforçando a teoria de que simplificação através da subtração pode criar uma grande marca.

  1. P&B

Depois de citarmos a importância das cores acima, é fácil esquecer que alguns dos logos mais emblemáticos do mundo são puramente monocromáticos e fazem um belíssimo uso do intenso contraste que essa paleta oferece. Mesmo que seu logotipo seja colorido, ele precisa funcionar perfeitamente em preto e branco em outros tipos de aplicação.

Se seu logotipo usa cores para transmitir um significado, reflita: ele ainda reflete o significado mesmo monocromático? Isso pode significar que é necessário o contraste entre os diferentes elementos do logo para que eles ainda transmitem o significado quando colocados em preto e branco.

  1. Lembre que o logo é apenas um item

Atualmente, o design de um logo é apenas um dos itens que compõem a identidade visual de uma empresa.

A pirâmide se inverteu: as pessoas agora se envolvem com uma marca através de uma enorme variedade de formar e mídias e o logotipo não é sempre o seu primeiro contato com uma marca.

  1. Faça as perguntas certas

É sempre importante e recomendado ter em mente algumas perguntas na cabeça. Elas auxiliam na hora de delimitar o público-alvo e estilo. As perguntas são:

  1. Por que estamos aqui?
  2. O que fazemos e como fazemos?
  3. O que nos torna diferentes?
  4. Para quem estamos aqui?
  5. O que mais valorizamos?
  6. Qual é a nossa personalidade?

Para conferir mais conteúdos sobre material gráfico e identidade visual, clique aqui!

Gráficas