Gráfica: 7 Segredos para impressão perfeita

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest

Gráfica: 7 Segredos para impressão perfeita

Você já precisou imprimir algum arquivo em uma gráfica rápida, gráfica online ou até em alguma gráfica física certo?

Agora imagine que você trabalhe com Design ou criação, está tudo pronto para enviar o arquivo. O prazo está corrido, depois de muitas alterações, correções e ajustes, você finalmente consegue fechar e enviar o tal material. Mas quando recebe o pacote com o produto impresso, uma surpresa, você se depara com:

Corte errado no meio do texto ou da imagem;

Cores diferentes do arquivo final que estava no computador;

Imagens em baixa qualidade;

Fontes (textos) diferentes do que tinha mandado.

Estes são alguns problemas que você provavelmente irá enfrentar se fechar o arquivo com algum erro! Pensando nisto, decidimos criar um material explicando em quais detalhes você deve ficar atento na hora de fechar o arquivo e enviar para as gráficas. Evite esses erros e mantenha a qualidade em seus materiais gráficos.

Confira:

1 – CMYK e NUNCA RGB

O CMYK (Cyan, Magenta, Yellow, Key ou cor chave, que representa o preto) é um padrão de cores que serve para impressão gráfica, ele se baseia em cores que podem ser reproduzidas nos materiais palpáveis ou offline (panfleto, folder, banners, outdoor, convites, cartão de visitas…). Já o RGB (Red, Green, Blue) serve como padrão de cores para o meio Digital como banners para sites, postagens em redes sociais, ebooks, e-mails entre outros.

Então já sabe! Se for imprimir, CMYK SEMPRE.

2 – Sangria e margem

Sabe aquele erro de corte do arquivo, que “come” alguma letra, corta alguma imagem ou o logo do seu cliente?

Ele pode (e deve) ser resolvido com uma sangria e margem interna. A sangria serve para manter uma margem de segurança no seu arquivo, evitando que ocorra esses cortes em partes indesejadas do material final. Normalmente, as gráficas disponibilizam um guia com a sangria necessária para finalidade de arquivo, fique atento as especificações da gráfica.

A sangria e margem de segurança podem variar entre 0,3mm até 8cm dependendo do tipo de produto que você precise.

3 – Fontes em curva

Fontes bonitas e com desenhos, estilosas, altas, baixas… Existem milhões de fontes na internet, e nem todos os computadores as possuem, correto?

Se manter o arquivo da letra em aberto (que pode ser editada) pode ocorrer que o leitor de arquivos da gráfica não entenda qual fonte é. Quando isso acontece, normalmente ele muda para uma fonte padrão como Arial, Calibri e em alguns casos, uma Times Roman. Isso pode causar uma mudança brusca no layout desenvolvido.

4 – 300DPI ou 72DPI.

Tenha a certeza de que o tamanho e a resolução das imagens estão corretos.

Quando há equívocos em algum desses cuidados, a impressão pode ficar sem nitidez, com imagens em baixa qualidade ou até mesmo algumas “linhas fantasma”. Para impressões usando layout e arquivos (JPG, TIFF, PSD) devem ser feitos com resolução de 300dpi. Resoluções menores deixam a impressão com qualidade ruim.

ATENÇÃO: na hora de fechar o arquivo grande, você pode reduzir a proporção de tamanho e continuar trabalhando com 300DPI, porém, em alguns casos que a qualidade da imagem é tão boa que pode ser utilizado em 72DPI.

5 – Atenção ao tamanho do arquivo

Precisa imprimir um arquivo no tamanho A4 (21cm x 29,7cm), mas criou um artboard em tamanho carta (11cm x 16cm)?

Só com esse exemplo você consegue entender quais problemas terá. Fique atento com as medidas, algumas vezes pode ocorrer de você estar preparando um arquivo para web em unidade de medidas em Pixels (px) e logo em seguida começa a criar um arquivo para impressão, porém acaba esquecendo de alterar a unidade e formata todo o material em Pixels, isso leva a um erro bruto no layout e no fechamento do arquivo.

6 – Material correto

Sabe em qual papel vai ser feita a impressão?(nós falamos um pouco sobre as melhores escolhas de material AQUI) Gramatura, textura, formato, tamanho… Todos esses detalhes são importantes!

Alguns materiais não existem no tamanho desejado, algumas folhas não aceitam certos tipos de tinta ou impressão. Escolha bem o material que será impresso pois isso define a qualidade final do material.

7 – O PDF é seu melhor amigo

O PDF é um dos únicos formatos que, quando fechado, mantém as especificações criadas no documento, o arquivo em formato de vetor e são otimizados para gráficas e outros. O PDF é a melhor forma de fechar um arquivo, já que algumas vezes o JPEG pode reduzir muito a qualidade do seu material impresso.

Checklist para impressão perfeita, confira as práticas para tornar seu arquivo impresso um sucesso - Gráfica Online - Gráfica - Gráfica Física.

Fique atento ao fechamento do arquivo no melhor formato possível!

Agora já vimos algumas boas práticas para manter a qualidade de seus materiais tanto na hora de formar o layout até a parte final da impressão! Mas uma dica é muito importante:

Procure sempre as especificações de fechamento de arquivo que a própria gráfica oferece, pois como a impressão pode ser feita em diversas máquinas diferente, este “manual de impressão” altera de gráfica para gráfica. Seguindo o passo a passo dos manuais, você evita dores de cabeça com seus clientes e seus materiais!

Nós, aqui da Quatrocor, estamos prontos para auxiliar na criação dos seus materiais, desde um cartão de visitas até a preparação do seu material para eventos e PDV. Dê uma olhada nos nossos produtos e veja qual supre a sua demanda!

Gráfica: 7 Segredos para impressão perfeita

Gráficas