Checklist: faça antes de mandar o arquivo para a gráfica

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest

Confira a nossa lista e não deixe nada passar antes de mandar o arquivo para a gráfica

Criar um layout para uma peça gráfica pode levar muito tempo e trabalho do designer. Porém, mandar o arquivo para a gráfica sem antes verificar os mínimos detalhes pode estragar todo esse processo, fazendo com que o material tenha que ser refeito novamente.

Por isso, preparamos um checklist rápido e fácil dos elementos que devem ser observados na hora de enviar o item para a impressão. É importante que tanto o designer quanto o cliente estejam atentos a esses passos. Confira abaixo a nossa lista! 

Antes de mandar o arquivo para a gráfica…

Revisão extrema

É muito provável que, enquanto o texto esteja sendo produzido, alguns erros de digitação, gramática ou outros descuidos passem despercebidos. Porém, eles fazem toda diferença se você não corrigir e o cliente perceber. Especialmente nos materiais impressos, que necessitam de muito mais trabalho para serem corrigidos do que os digitais. Quando o item está na mão do consumidor, já não há muito o que fazer.

Existem dois tipos de revisão que você precisa fazer antes de mandar seu arquivo para a gráfica: a revisão linguística e a revisão gráfica.

A revisão linguística analisa o que a maioria das pessoas associa à edição: verificação de erros de digitação, gramaticais, ortografia e a compreensão geral do texto usado. Já a revisão gráfica aborda o apelo visual do texto do ponto de vista gráfico. O espaçamento do texto, comprimento das linhas e até mesmo a quebra das palavras dentro dos parágrafos são estudados nessa correção. Isso porque linhas muito longas ou mais curtas acabam se destacando, prejudicando a uniformidade geral do bloco.

Confira o espaçamento de fontes

Em seguida, é hora de definir o espaçamento das fontes. Geralmente, os programas já fazem isso automaticamente, mas o designer precisa usar seu olhar e julgamento crítico para ajustar todo o visual.

Esses procedimentos de tipografia são fundamentais para destacar o texto e dar uma aparência única ao seu layout. Tudo deve ser analisado: desde as letras às pontuações, parágrafos e espaços negativos. Trabalhando esses elementos de forma harmônica, o profissional valoriza o design. 

Verifique tamanho e resolução da imagem

Antes de imprimir, confira a resolução do seu material. A melhor forma de salvar os seus itens é em 300 DPIs ou mais. A regra de ouro é guardar na máxima resolução possível, assim você consegue ajustar a escala da imagem sem perder a qualidade. 

Além disso, nunca amplie as fotos em mais de 20% do seu tamanho original, já que isso também interfere na resolução do documento. Isso vale especialmente para catálogos, folhetos ou anúncios com imagens que necessitem de fotografias de qualidade. 

Certifique a precisão das cores

Quando falamos em impressão, a cor que vemos na tela geralmente não condiz com a obtida na impressora. Isso porque as telas de computadores e câmeras digitais visualizam as luzes em espectros diferentes das impressoras, fazendo com que o sistema de cores também seja diferente. 

A maioria dos softwares de design usam o modo de cores RGB como padrão. No entanto, as impressoras usam o processo CMYK. 

Uma maneira de garantir que as tonalidades sejam semelhantes tanto na tela quanto na impressora é ajustando o modo de cores existente no seu design para o CMYK. Entenda que se o computador e a impressora não falarem a mesma linguagem, os resultados não sairão como o esperado. 

Calibre a tela 

Outra forma de garantir a precisão das cores é calibrando a tela do computador antes de fazer a impressão. Se a tela está imprecisa, as chances do seu material não sair da forma como você estava esperando são muito grandes. Ajustar a tela é garantir economia de dinheiro com tiragens erradas.

Também existe a possibilidade de que os monitores do designer e do cliente estejam com calibrações diferentes, levando até a uma falha na comunicação e aprovação dos materiais gráficos. O ideal é visualizar as imagens em dispositivos distintos e até mesmo fazer uma pré-impressão para verificar todas as possibilidades. Por mais que as cores possam não sair precisas da impressora, essa etapa ajuda a notar as pequenas diferenças que não são vistas no monitor.

Defina as margens de segurança, sangria e corte

Fazer um design digital ganhar vida no mundo físico também envolve garantir que as linhas de segurança, sangria e cortes estejam alinhados corretamente. Essas marcas indicam a borda do design e é onde os cortes serão feitos quando o material for impresso. 

A margem de segurança é uma área interna, geralmente de 4mm em cada lado, que limita os textos, imagens e todos os elementos, garantindo que nada fique de fora. Já a sangria é a borda feita no próprio layout, variando entre 1 e 5mm, para certificar que as pequenas variações de refile não deixem nenhuma área falhada. Por fim, a área de corte, também conhecida como refile, é onde será determinado o formato final do seu impresso.

Se o designer ignorar esses alinhamentos, pode resultar em uma borda branca ou até mesmo o conteúdo ser excluído. Como o material impresso passa por cortes, é essencial levar em consideração essas margens para um layout simétrico. 

Salve seu arquivo em PDF de alta resolução

Assim que todas essas etapas foram concluídas e você tem a certeza de que tudo está perfeito para mandar o arquivo para a gráfica, é hora de salvar. Algumas até aceitam o formato PSD ou AI, mas o ideal é o PDF, pois você não só garante arquivos sem perda de qualidade, como também fecha o item, sem possibilidade de alterações. 

Escolha o papel

Pronto, agora você já fechou o  arquivo, mas ainda falta uma etapa importante: selecionar o papel ideal. Cada tipo de papel produz uma sensação e apelo visual diferente do outro. Se você busca por um resultado mais profissional, pode optar por um papel com laminação fosca, por exemplo. Separe um tempo estudando os papéis e efeitos que deseja para o seu material antes de imprimir. 

Essa etapa da pré-impressão é muito importante para certificar que nenhum erro passe despercebido e para evitar dores de cabeça. Com apenas alguns minutos, você economiza tempo, dinheiro e trabalho. Além de, claro, obter um resultado de qualidade.

Para imprimir suas peças gráficas de forma rápida e precisa conte com a Quatrocor. Nossos especialistas podem orientá-lo no checklist e também em todo processo de impressão. Entre em contato conosco e solicite um orçamento! 

Gráficas