5 dicas para uma impressão perfeita

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest

A escolha da gráfica é fundamental ao desenvolver um projeto gráfico. É a etapa final do processo de criação e a responsável por dar vida aos materiais. A qualidade da impressão, aliada ao acabamento adequado e a escolha correta do papel utilizado, pode valorizar a marca da sua empresa e fazer seu projeto brilhar aos olhos de seus clientes, se destacando no mercado e até na concorrência.

Existem diferentes sistemas de impressão – offset, rotogravura, serigrafia, tipografia, flexografia, tampografia e impressão digital – e acabamentos gráficos de acordo com cada necessidade. Em geral, o processo de impressão mais utilizado é o offset, pois é favorável para a maioria das peças gráficas como revistascatálogosjornaisfolderslivrostabloides ou encartes de ofertas e materiais de ponto de venda . Para obter o resultado pretendido nesse sistema de impressão é importante atentar-se a alguns cuidados na hora de enviar os arquivos finais para gráfica.

Conheça 5 dicas rápidas para uma impressão sem erros:

1 – Escala de Cores

Utilizar a escala de cores CMYK (cyan, magenta, amarelo e preto) ou cores especiais (Pantone).

Não é recomendável usar a escala RGB, pois não é compatível com esse sistema de impressão e pode causar distorção nas cores, comprometendo o resultado final. O ideal é converter imagens e textos que estão em RGB para CMYK antes do fechamento do arquivo.

2 – Preto

A cor preta, quando aplicada de forma incorreta, pode causar muitos problemas na impressão. Ao utilizar o preto em textos, linhas muito finas ou elementos pequenos, procure sempre usar na forma pura da cor e não a composta, ou seja, use apenas o “K” e suas variações de retículas (100%, 75%, 50%, 25% ou 10%). Também verifique se estão em overprint quando aplicados em fundos coloridos.

Em áreas grandes, é recomendado que o preto tenha um calço de 30% de cyan.

3 – Fontes

Prefira usar fontes que tenhas as variações “bold” e “italic” em suas famílias e nunca utilize as variações dos programas de editoração, pois durante fechamento do arquivo pode ocorrer mudança nas fontes.

Outro cuidado que deve ser tomado é com relação ao uso de textos vazados em fundos fotográficos ou que tenham mais de uma cor. Nesses casos, evite usar fontes “light” e corpo inferior a 12 pontos.

4 – Resolução e imagens

Imagens aplicadas no layout e arquivos nas extensões JPG, TIFF, PSD precisam ter resolução de 300dpi. Resolução inferior a essa compromete a qualidade do material.

5 – Sangria e margem de segurança

No processo final da impressão, o material é refilado para chegar ao formato desejado do projeto e nesse processo pode haver uma pequena variação no refile. Dessa forma, ao preparar o arquivo final, todos os elementos que fazem contato com o limite da página deverão ser prolongados, ultrapassando no mínimo 2,5mm da marca de corte (borda da página).

Outros elementos do layout que não deseja cortar, devem respeitar a margem interna da página mínimo de 5mm.


Esses são cuidados simples que podem garantir sua satisfação com resultado final do seu projeto e com a gráfica escolhida.

Se ainda assim, restou alguma dúvida, nós disponibilizados um departamento de pré-impressão e profissionais especializados com quem você poderá contar sempre que precisar de auxílio nesse processo.

E continue acompanhando nosso blog. No próximo post, traremos um artigo com mais detalhes sobre os sistemas de impressão.

Gráficas